Publicado em Deixe um comentário

O mito da socialização

Um comentário sobre “O mito da socialização

  1. MUITO BOM, Camila. Tive homeschooling até a terceira série e não sou nenhuma maluca que vive dentro de uma caverna obscura e grita quando seres humanos chegam perto de mim etc. etc.. Isso só me privou de, hoje em dia, socializar com imbecis.

  2. Texto interessante! Postei um texto em meu blog sobre doutrinação nas escolas. Muita coisa pra se refletir e perceber!!!

  3. Parabéns! Se possível mude a fonte do blog.

  4. Querida Camila, parabéns pelo belo texto! Sempre considerei importante que crianças passassem mais tempo com adultos do que com os seus pares. É notável o amadurecimento intelectual de crianças que são estimuladas pelo próprio convívio com adultos.

  5. A questão é equilíbrio, né Suzana. =) Nem só adultos, nem só crianças, mas, tanto quanto possível, pessoas educadas e amorosas. 😉

  6. Estimada Camila,

    um alívio na alma senti ao ler este seu artigo. Aquilo que penso a senhora resumiu de forma brilhante!!! Vou fazer de tudo para espalhar este teu belíssimo artigo! Deus seja louvado por te conhecer… mesmo ainda só "via internet".

  7. Olá, Camila!
    Sou estudante de Pedagogia (em vias de concluir!), mãe homeschooler (minhas filhas têm 5 e 3 anos) e também escrevo sobre maternidade no meu blog (se quiser conhecer, este é o link: http://www.maternidadeproativa.blogspot.com). Esta semana duas pessoas me recomendaram o seu blog porque estou pesquisando e quero entender melhor o que é o trivium e a educação cristã clássica. Você tem textos para me indicar?

    Gostei desse seu post sobre socialização. Penso como você. E acrescentaria que a socialização escolar é, na verdade, uma socialização artificial. Qual o sentido de colocar 20-30 crianças da mesma idade numa sala e chamar isso de socialização?! Muito mais sociável, ao meu ver, é a criança que convive com diversos tipos de pessoas de uma comunidade (família, vizinhos, parentes, igreja, clube, biblioteca, etc.) e sabe lidar com pessoas de todas as faixas etárias!! E nada melhor do que o homeschooling para favorecer esse resultado. Não é porque praticamos homeschooling que nossos filhos ficam trancafiados dentro de casa sem ver pessoas ou a luz do dia, né? Não sei de onde tiraram essa ideia maluca. 🙂

    Um abraço!

  8. Acho que os que defendem a socialização como o principal argumento para não tirar as crianças da escola, esquecem que essa ideia de "escola para todos" é muito recente. Sabemos bem que a escola sempre foi espaço de um pequeno e limitado grupo de pessoas. É aí que eu pergunto: se a socialização fosse algo exclusivo da escola, então a maior parte da população, em quase toda a história da humanidade, não se socializava?

  9. Olha, li seu artigo e depois esbarrei em dois outros na net. Um é de Olavo de Carvalho, publicado no Diário do Comércio em 2012 e fala sobre como o A teoria socioconstrutivista de Vygostky solapou nossa educação a aprtir dos anos 70 (http://www.olavodecarvalho.org/semana/121030dc.html). O outro fala sobre sobre o "brincar" nessa teoria mas faz uma explanação bastante direta sobre a teoria até a página 55 (http://www.scielo.br/pdf/pe/v6n1/v6n1a07.pdf). Não dá pra não notar a semelhança com a realidade. Até a década de 70, a educação nacional, mesmo sendo ainda precária, se prestava ainda a formar verdadeiramente uma criança. Tenho vários exemplos de "mais velhos" que possuem um linguajar preciso, capacidade de compreensão e análise de textos e domínio de matemática básica (operações básicas inclusive entendendo os algoritmos da multiplicação e divisão, bem como percentagem e equações simples) coisa que é raríssimo encontrar em alunos de Ensino Médio, equivalente ao Ginásio na época. Muitos, mas muitos estudantes mesmo não conseguem se desenvolver plenamente por que possuem deficiências nas suas capacidades linguísticas (enquanto que já tivemos aula de latim e francês e as aulas de português eram maciças). E de onde vem isso?? Socioconstrutivismo! Segundo esta, o desenvolvimento da criança é um processo social, NUNCA individual! Aposto que muitos de nós pensando sobre vai perceber que muita coisa que aprenderam foi por causa de esforço individual! O professor Pierluigi Piazzi fala sobre isso de maneira magistral (https://www.youtube.com/watch?v=YSJsaER7rgg). Outro ponto dessa teoria vygotskyana é que ela prega que a aprendizagem é também histórica. Ou seja, cada indivíduo tem sua história e aprende em tempos diferentes de outros. Daí, advém o absurdo das escolas passarem o aluno de ano mesmo não tendo aprendido o estudado no ano. Fazem isso sistematicamente nas escolas, desde as séries iniciais até o ensino médio (parece que nas universidades isso ainda não acontece, porém os universitários já entram com uma formação deficitária). Por fim, gostaria de lhe parabenizar Camilla pela coragem, força e fé! E a frase inicial do texto, a frase do Lênin é perfeita! Perfeita por que nos leva ao cerne da questão. O socioconstrutivismo, como o nome já indica, é uma teoria de bases marxistas (materialismo dialético de Hegel) e se propõe a formar adultos "críticos de uma coisa só": a luta de classes (o Admiravel Mundo Novo do Aldous Huxley é muito útil para refletrimos sobre o assunto). Que o Senhor te ilumine e Nossa Senhora sempre interceda por ti.

  10. Ola, Camila!

    Sou um admirador distante do seu trabalho na área do homeschooling no Brasil.

    Parabéns e muito obrigado pelo texto.

    Estou desenvolvendo minha monografia acerca dessa modalidade de ensino e textos como este me ajudam bastante a desenvolver uma argumentação mais precisa.

    Deus te ilumine e também à sua família!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *