Publicado em Deixe um comentário

Outubro imperdível

Materiais gratuitos 
Quem tem ouvido falar sobre A casa de Penélope poderá conhecer melhor e gratuitamente o trabalho que temos desenvolvido no clube. Basta cadastrar o email (período de inscrições encerrado) para receber durante quatro dias, de 24 a 27 de outubro, um conteúdo exclusivo a respeito de um dos livros que lemos até o momento n’A casa: poderá ser um guia de leitura, uma newsletter, um hangout… Assim, se houver ainda alguma dúvida sobre se vale ou não a pena participar, certamente será sanada. 😉

Cursos com descontos
Como temos recebido muitos pedidos de ajuda, por emails e por mensagens, a respeito do homeschool, resolvemos antecipar nossa promoção de final de ano para o dia 12 deste mês, e oferecer os cursos “Homeschooling 1.0” e “De volta ao lar” com 50% de desconto. Será uma promoção relâmpago que durará apenas um dia, então fiquem atentos!

Novas assinaturas com bônus
Aqueles que quiserem garantir a participação desde o início de 2018 no ainda inédito Clubinho Literário, ao realizar sua inscrição receberão nosso curso “Ensine seus filhos a gostar de ler” gratuitamente. Já aquelas que se inscreverem n’A casa de Penélope receberão, sem custo algum, todo o material digital referente ao livro Madame Bovary, que foi a quarta leitura do Ano da esposa.
Publicado em Deixe um comentário

O caminho das pedras

Àqueles que acabaram de chegar aqui vindos do e-book da Gazeta do Povo, um aviso importante: este nosso humilde blog, embora conte já com mais de quatro anos de publicações, não se presta exatamente ao propósito de guia aos interessados em homeschooling. Aqui, o que vocês encontrarão é algo muito mais próximo de um diário do que qualquer outra coisa, de modo que a utilidade do espaço está em conhecer um pouco sobre a rotina de uma família homeschooler.

Contudo, para não deixar a ver navios quem se interessa de fato sobre o assunto e cogita praticar o homeschool com os próprios filhos, deixo aqui uma sugestão bem mais oportuna: o nosso curso Homeschooling 1.0. Lá encontra-se toda a base para quem realmente quer botar a mão na massa, com aulas específicas sobre questões jurídicas, pedagógicas, metodológicas, históricas, psicológicas, sugestões de materiais e muito mais. Clique no link e confira!

Publicado em Deixe um comentário

Lançamento e promoção

Neste último domingo, finalmente veio a público um trabalho no qual estamos há bastante tempo investindo: a expansão do Selo Homebooks da Editora Concreta. Agora, além de prosseguirmos publicando “Os fabulosos livros coloridos”, de Andrew Lang, publicaremos também, num sistema de adesão por assinatura, um box mensal com uma porção de itens úteis, instrutivos e divertidos para as crianças.

Para começar, resolvemos resgatar a antiga e excelente enciclopédia infantil O tesouro da juventude. Relendo e revisando seu conteúdo, entregaremos aos assinantes um fascículo de aproximadamente 100 páginas com aqueles conteúdos que ainda hoje se mantém atuais e relevantes aos nossos pequenos. Será O melhor do Tesouro da Juventude.

Além do fascículo, concretizaremos ainda um antigo sonho meu: a publicação da primeira revista sobre homeschooling do país. Nosso objetivo é, mais do que informar, também auxiliar na formação das famílias praticantes ou simpatizantes da educação domiciliar em nosso país, explicando conceitos, contextualizando fatos, expandindo horizontes etc.


Para divertir a criançada, um jogo exclusivo será enviado mensalmente, ajudando também na fixação dos conteúdos apresentados no fascículo.

Como não poderia deixar de ser, um brinde surpresa e um cupom de desconto para utilizar com outros produtos da Editora Concreta serão também enviados no mexmo box. No entanto, e para melhorar ainda mais, os 200 primeiros assinantes ganham um desconto vitalício na Editora (restam ainda 84 assinaturas promocionais, de acordo com o site).

Por último, entrando no ritmo do mês de aniversário do blog (quatro anos!!!), faremos, como já é tradição, uma promoção dos nosso cursos. Assim, a partir do dia 20 deste mês até o dia 14 de maio, dia das mães, tanto o curso De volta ao lar quanto o Homeschooling 1.0 estarão com 50% de desconto no site do Instituto Isidoro de Sevilha. Nossos demais cursos, disponibilizados aqui mesmo, na aba CURSOS, permanecerão com os mesmos valores, uma vez que já estão bem baratinhos.

Nosso trabalho está crescendo e assumindo novas formas, o que explica também o decrescente número de postagens por aqui. Acompanhe-nos em nossas novas frentes, confira os conteúdos e aproveite os descontos!

Concreta In Box: www.inbox.livrariaconcreta.com.br
Instituto Isidoro de Sevilha: www.isidorodesevilha.com.br

Publicado em Deixe um comentário

50% OFF

Entrando no clima de black friday, todos os nossos cursos estão com 50% de desconto! Basta clicar na aba CURSOS, escolher sua opção de pagamento e aguardar. Em até 24h entraremos em contato pelo email cadastrado no seu paypal ou pagseguro e enviaremos os links para download dos cursos. Aproveite! 😉
PROMOÇÃO ENCERRADA.

Publicado em Deixe um comentário

Nosso novo curso!

Qual é o objetivo do curso?
Por que hoje parece ser tão mais difícil saber como educar do que antigamente? Qual é o papel do pai (e da mãe)? O que devemos esperar de cada faixa etária? Como podemos transmitir a fé aos nossos filhos? O objetivo deste curso é auxiliar os interessados na reflexão sobre a educação de filhos e numa vivência familiar mais feliz e equilibrada.

Qual é o conteúdo do curso?
O curso é composto de 9 aulas que abordarão os seguintes temas:

  1. Introdução – Um diagnóstico dos nossos dias;
  2. Temperamentos – Os 4 temperamentos e como o seu discernimento pode ajudar na educação dos filhos;
  3. O papel dos pais – A função dos pais na vida dos filhos, seus direitos e deveres, incluindo as diferenças entre pai e mãe no contexto familiar;
  4. Educação de meninos – A formação específica dos meninos, suas fases de crescimento, com ênfase na masculinidade cristã;
  5. Educação de meninas – A formação específica das meninas, suas fases de crescimento, com ênfase na feminilidade cristã;
  6. Escola ou homeschooling? – As duas opções de instrução, suas diferenças e cuidados;
  7. Disciplina – A criação e manutenção da ordem, considerando as principais visões sobre a correção dos filhos;
  8. A fé cristã e a educação dos filhos – A religião cristã como fundamento da vida dos filhos; 
  9. Aula extra – Esclarecimentos e respostas aos questionamentos dos alunos.


A quem o curso se destina? 

A todos os pais interessados em transformar suas casas em verdadeiros lares para seus filhos e que estejam desejosos de melhor cumprir suas obrigações.

Qual é o formato do curso e o que ele oferece? 

  • Nove aulas em vídeo (online e download);
  • Material de apoio em .pdf com todas as referências citadas ao longo do curso;
  • Espaço para troca de emails e respostas a dúvidas.


Quando começarão as aulas?

01 de setembro de 2016.

Como posso me inscrever? 
Basta clicar aqui. Ao final da página linkada estão os dois botões de compra.

Qual é o valor do curso? 
Valor: R$ 180,00 (cento e oitenta reais).

Publicado em Deixe um comentário

Menos dias dos namorados, por favor

Eu e Gustavo nunca comemoramos o Dia dos Namorados. Também não pretendemos comemorá-lo no futuro. Mas não por algum motivo ideológico anti-alguma-coisa-qualquer, nem por desleixo com nossa história, mas porque simplesmente nunca fomos namorados. É, eu sei, soa esquisito um negócio desses, mas é a verdade, e eu vou contá-la para vocês.

Quando nos conhecemos, cerca de 11 anos atrás, eu e Gustavo, assim que nos vimos… não simpatizamos nada um com o outro; nada mais distante de nossa história do que o famoso “amor à primeira vista”. Ele, rude e indiferente; eu, afetada e confusa. Ele, comprometido com uma moça lindíssima; eu, querendo mais do que tudo ir embora do país. Apesar disso, por conta de interesses comuns (igreja, Kierkegaard etc.), prosseguimos trocando emails, conversando. Não demorou para que nos tornássemos os melhores interlocutores um para o outro e, aos poucos, migramos dos emails para os telefonemas e para as SMS. Em seguida, ele terminou o namoro e meus planos para o exterior foram por água abaixo. Quando percebemos, em cerca de dois meses aproximadamente, a antipatia original havia sido de toda substituída por um verdadeiro apreço, por uma amizade crescente, e os assuntos começaram a derivar dos temas que inicialmente nos haviam aproximado e começamos a passear juntos: uma palestra aqui, um café ali, um cinema acolá.

Num desses passeios, enquanto tomávamos café em um shopping, conversa vai, conversa vem, sem que eu esperasse, Gustavo solta a temível pergunta: “Quer namorar comigo?” Claro que eu já tinha pensado no assunto, que gostava da idéia e que me sentia muito bem em sua presença, no entanto, eu tinha vindo de uma série de relacionamentos muito, muito, muito ruins, e não tenho vergonha de admitir que era uma garota muito machucada e cheia de sequelas psicológicas por conta disso. Assim sendo, não estava disposta a me arriscar mais uma vez em um relacionamento qualquer para mais uma vez fracassar. Minha saída, portanto, foi dificultar a vida do Gustavo, respondendo a ele o seguinte: “Não, não quero namorar. Eu caso, não namoro.” Imaginava que diante de tal resposta ele recuaria, daria uma desculpa qualquer, e eu me livraria de mais um aspirante a homem. Qual não foi a minha surpresa ao receber a seguinte tréplica: “Então casa comigo!” Meu chão sumiu. Eu jamais pensei que seria pedida em casamento de semelhante modo, numa espécie de queda-de-braços emocional! Alegria, medo, insegurança, tudo ao mesmo tempo… O que responder?!


Respondi a única coisa que poderia ter respondido, e não foi “sim”… nem “não”. Minha resposta foi a mais sincera, coerente e segura que eu poderia dar à pergunta que mudaria toda minha vida: “Vamos orar e pedir para que Deus nos mostre se é isso mesmo o que ele quer para nós”. Diferentemente da resposta anterior, em que meu propósito mal dissimulado era fugir, agora, diante de uma atitude surpreendente, corajosa e adulta, minha reação também mudara e eu queria fazer a coisa certa. Encontrava-me em um momento da minha vida em que tinha a convicção de que não possuía os critérios necessários para discernir quem seria um bom marido e quem não seria. Minhas experiências ofereciam-me uma abundância de provas de minha completa inaptidão para tal escolha e eu, portanto, não tinha mais como me fiar em mim mesma para empreender um relacionamento dessa seriedade. Eu reconhecia minha incapacidade e desejava a condução segura de Deus, alguém em quem eu poderia confiar que não me deixaria entrar em mais uma cilada.

Para minha alegria e como excelente sinal Gustavo topou. No entanto, surgia agora mais uma dificuldade: Como saber se era isso o que Deus queria? Eu precisava de um sinal, de algo inconfundível, claro como o sol. Mas o quê? Fui para casa com aquele turbilhão de sentimentos e assim que pude confessei a Deus minha incapacidade para decidir até sobre nisso. Foi então que, como resposta, ocorreu-me a passagem que narra o encontro de Rebeca pelo servo de Abraão: Ao reconhecê-la por meio de um sinal que havia pedido a Deus, o servo enche Rebeca de jóias. Sim, se Gustavo fosse mesmo o homem certo para mim, uma jóia seria o sinal e Deus haveria de incliná-lo a isso. Vale acrescentar uma nota importante: Ganhar uma jóia não era algo simples, pois Gustavo sequer recebia um salário, mas trabalhava em troca de custeio da faculdade.

Duas ou três semanas depois e sem pista alguma da minha parte Gustavo apareceu com um lindo anel de pérola. Ficamos noivos. A contar do dia em que nos conhecemos até o nosso casamento passaram-se pouco mais de oito meses. E de lá até cá já se vão quase onze anos.

Mas por que raios estou dizendo tudo isso, além do mais sob o título “menos dias dos namorados, por favor”? Não é com a pretensão de sugerir que não se namore. Menos ainda com a pretensão de servir de modelo. Nada disso. Cada casal tem a sua história, o seu tempo, os seus rumos. Minha intenção ao contar a nossa história, que eu acredito ser uma história feliz, um matrimônio bem sucedido, foi simplesmente incentivá-los a que tenham em mente e como alvo real o objetivo do relacionamento homem-mulher, isto é, o casamento. Já testemunhei o naufrágio de diversos relacionamentos que teriam tudo para prosseguir em felicidade porque os envolvidos negavam-se a ir para a etapa seguinte, a abraçar não só os direitos, mas também os deveres inerentes aos seus papéis, negavam-se, enfim, a crescer.

Sim, comemorem o dia dos namorados. Sim, conheçam-se. Sim, divirtam-se. Mas planejem, trabalhem, construam juntos, de fato, o futuro de vocês, como adultos que devem ser, não mais como adolescentes que vivem só no agora. Isso significa que o casamento é prova definitiva de maturidade? Não. Sempre há quem, apesar da celebração do rito, permaneça não mais do que um namorado em termos emocionais, vivendo apartado ainda que debaixo do mesmo teto, criando reservas para si em seu coração, em seu bolso, em suas coisas… A diferença entre isso e o que um casamento deve ser de fato é que, apesar de toda imaturidade, de toda a precariedade, de toda a falta de recursos, de toda a oposição e dificuldade que possa haver, quem se abre, caminha e vive o casamento está disposto a enfrentar todos os desafios, está disposto a superar-se, está disposto a mudar, a se entregar, a amar de verdade, até a morte e por amor a Deus. E isso não é coisa para meninos e meninas, mas para homens e mulheres.

Assim, comemorem o dia dos namorados, mas que sejam poucos, para que os aniversários de casamento sejam muitos.

E quem quiser se preparar de fato para o casamento, clique aqui e conheça mais sobre o nosso curso “Oficina de casamento”.

Publicado em Deixe um comentário

Inscrições encerradas – Gostar de Ler

Este curso é um velho conhecido dos leitores mais antigos do blog. Ele foi o primeiro dos diversos que hoje oferecemos e surgiu como resposta a um convite do prof. Carlos Nadalim para que eu compartilhasse aquilo que sabia a respeito do assunto, uma vez que o sucesso obtido com meus próprios filhos fornecia um testemunho fiel acerca da qualidade dos nossos esforços.

Recentemente, por ocasião de diversos contatos de leitores com dúvidas a respeito do assunto e também de diversos questionamentos a respeito de como adquirir o curso, resolvemos abrir uma nova turma. As inscrições estão abertas desde já, dia 28 de março, até o dia 10 de abril.

O principal objetivo do curso é oferecer aos pais as ferramentas necessárias para que saibam conduzir seus filhos de maneira prazerosa na aquisição do hábito da leitura. O curso oferece também uma série de critérios sobre como selecionar as melhores obras para a formação das crianças. Além disso, são abordadas ainda algumas dificuldades comuns a muitas famílias, tais como a agitação das crianças, a impaciência, o vício em eletrônicos, etc. Por fim, além das 05 vídeo-aulas, oferecemos ainda um resumo com o conteúdo de cada aula e uma lista atualizada com mais de 100 títulos seguros, abrangendo várias idades, para você montar uma biblioteca de qualidade para os seus filhos.

Imediatamente após o encerramento do período de inscrições cada aluno receberá no email cadastrado no ato da compra o link para download de todo o conteúdo: as 5 aulas, os 5 resumos e a lista de livros.

O valor do curso é de R$ 120,00.

Escolha a sua opção de compra logo abaixo, clique e garanta a sua vaga. 😉

*** Inscrições encerradas ***

Publicado em Deixe um comentário

Seja homem – nosso novo curso


No último dia 28, quarta-feira, Gustavo lançou nosso mais novo curso, o “Seja homem – a redescoberta da masculinidade cristã”. O curso é uma tentativa de compartilhar aquilo que ele tem descoberto em suas pesquisas e, principalmente, em sua experiência a respeito deste assunto: como tornar-se o pai, o marido e o homem que Deus deseja. Além disso, o curso é também uma resposta ao apelo de várias mulheres e homens que desejam “uma versão masculina” do meu curso “De volta ao lar”. Muitas mulheres que compreenderam a importância do seu papel sentem a necessidade de que os noivos/maridos compreendam igualmente o seu próprio, para que a família possa andar de fato em comunhão, sem mentalidades distintas a respeito de seus compromissos e responsabilidades.

Tem sido extremamente interessante notar as diferentes reações diante da nossa proposta. Desde o incontido entusiasmo até o escárnio, passando pelo menosprezo. Mais curioso ainda é ver que muitas das reações negativas vêm de alguns que se dizem cristãos, mas que parecem fazer pouco caso, ou realmente não entendem, o tempo em que vivemos, onde os mais basilares e essenciais fatos são postos à prova. Afinal, se todos (e refiro-me exclusivamente a todos nós, cristãos) soubessem não apenas qual é o seu papel social, mas qual é o seu papel enquanto membro de um determinado sexo, estaríamos vivendo tamanha confusão em nossas famílias, em nossas igrejas e em nossa sociedade? Se cada homem soubesse o que significa tornar-se marido, um marido cristão de verdade, ocorreriam tantos divórcios e separações? Se cada homem soubesse o que significa tornar-se pai, um pai cristão de verdade, encontraríamos tantos jovens depressivos, desnorteados, drogados e revoltados? Se cada homem soubesse o que significa tornar-se homem, um homem cristão de verdade, nossas igrejas estariam do modo como estão? Melhor dizendo: o ocidente estaria como está? Acho que não. Definitivamente.

O curso é composto de seis aulas e uma aula extra. As aulas abordarão os seguintes temas:

  1. Introdução: uma nota autobiográfica;
  2. O silêncio de Adão: o duplo problema da omissão e da desvirilização;
  3. O caráter de homem;
  4. Marido de uma só mulher;
  5. Um homem de família;
  6. Um homem a serviço de Deus e do próximo;
  7. Hangout para responder dúvidas.
O período de inscrições irá até o dia 04 de novembro, próxima quarta-feira. O valor do curso é de RS 109,00. Para adquiri-lo ou obter maiores informações, clique aqui.
Publicado em Deixe um comentário

Prevenindo-se contra o feminismo nas gerações vindouras

Para mim, que sou nascida em família esquerdista, ex-amiga de companheiros esquerdistas, ex-aluna de professores esquerdistas, uma vez transposta a linha da fidelidade estúpida, não é difícil concluir que o esquerdismo brasileiro não é, na maioria dos casos, o resultado de uma adesão consciente, racional e voluntária a um corpo teórico pretensamente mais verdadeiro, mas, antes, o fruto de uma lealdade inconsciente, emocional e quase involuntária a um grupo que justifica e legitima o ressentimento, a inveja, o coitadismo e o desejo de vingança de seus pares sobre o demais, estes tidos como seus algozes, opressores e rivais. Claro, nem todos são tão infantis assim: os que não o são, em geral, são os que lucram realmente sobre o infantilismo dos primeiros.

Hoje mesmo verifiquei, pela milésima vez, na prática, o que procurei dizer acima. Tive acesso ao texto de uma garota dita cristã que pretendia explicar os motivos de sua adesão ao feminismo: nada mais do que uma sucessão de mágoas com sua mãe, as quais, segundo ela, eram provas definitivas do “machismo” ocidental.

A julgar pelo relato, a mãe da referida moça não possuía, ela mesma, compreensão da importância do seu papel enquanto esposa, mãe e dona de casa. Sempre que possível, poupava a filha de quaisquer envolvimentos com os afazeres domésticos, incentivando-a a buscar, por meio dos estudos, “uma vida melhor”. Apesar de poupada, no entanto, a garota ressentia-se da “injustiça” materna que, em lugar de solicitar igualmente filhas e filhos, voltava-se sempre para as moças em busca de ajuda. Ou seja, o feminismo da garota, assim como o da maioria das moças, encontra seu fundamento no mal resolvido relacionamento com sua mãe e tem seu respaldo nas disseminadas campanhas midiáticas.

Ao que pude perceber, não deve constar entre as ambições de tal mãe a transformação de sua filha em uma militante feminista, porém, ao ignorar a importância e, de certo modo, menosprezar o seu papel, ela fez eco ao clamores do mundo e “empurrou” a filha para os braços das feministas. Casos assim multiplicam-se diariamente, para a tristeza e vergonha das famílias cristãs.

De fato, vivemos tempos difíceis nos quais nós e nossos filhos somos pressionados por todos os lados pelas mais sórdidas ideologias, mesmo dentro da igreja. Todavia, nada nos autoriza a abraçarmos a resignação como se não houvesse o que pudéssemos fazer. Em meu curso, o De volta ao lar, mostro como é fundamental descobrirmos, antes do mais, as raízes de nossas opiniões e posturas acerca da vida familiar, compreendendo, então, a origem de nossos sentimentos de incapacidade, inadequação e frustração; em seguida, é preciso empreender um esforço vigoroso pela formação de uma nova mentalidade e de uma nova postura; por último, é essencial que saibamos não só viver e gerir nossa realidade familiar de uma maneira realmente cristã, mas é absolutamente indispensável que saibamos COMUNICAR essa nova mentalidade e essa nova postura aos nossos filhos, defendendo os valores nos quais acreditamos e guiando os pequenos pelo caminho da preservação da família, do respeito à hierarquia familiar e da valorização das especificidades de cada papel exercido em seu seio.

Em resumo, enquanto não compreendermos a centralidade de nossa presença no coração do nosso lar, e enquanto não soubermos transmitir tal compreensão aos nossos filhos, com toda a alegria, convicção e vigor que lhe convém, continuaremos tornando-os alvos fáceis de ideologias como a feminista, que outra finalidade não possui além de destruir os lares e perverter o feminino.
Publicado em Deixe um comentário

Um tesouro! E ele pode ser seu. ;)

Tempos atrás, um ex-aluno meu, o Felipe Garcez, procurou-me e convidou-me para uma parceria. O desejo dele era tornar acessível a um maior número de pessoas todas as coisas boas sobre educação que ele vinha descobrindo e pinçando, aqui e ali, entre o círculo de alunos do professor Olavo de Carvalho.

Foi então que tivemos a ideia de reunir em um único evento todas essas pérolas e torná-las, de uma só vez, disponíveis a todos os que as desejassem. Assim surgiu “O tesouro da educação”: uma série de nove palestras abordando os mais diferentes aspectos da educação de crianças.

Entre os palestrantes encontram-se Francisco Escorsim, Rafael Falcón, Clístenes Hafner Fernandes, Thomas Giulliano, Marcos Alcântara, Aline Brodbeck, Ivonete Porto, além de mim e do Gustavo.

Além das palestras, no entanto, cada palestrante está oferecendo um bônus exclusivo, gratuito, àqueles que adquirirem “O tesouro” por meio do seu link. Todos os bônus são excelentes e ajudam a iniciar os estudos no assunto de maior interesse.

O meu bônus é um velho conhecido da maioria de vocês: o curso “Ensine seus filhos a gostar de ler”. Já o bônus do Gustavo é o nosso curso mais recente, o “Homeschooling 1.0”.

O meu bônus é um velho conhecido da maioria de vocês: o curso “Ensine seus filhos a gostar de ler”. Já o bônus do Gustavo é o nosso curso mais recente, o “Homeschooling 1.0”.

De todo modo, há bônus para todos os gostos. 😉

Clique na página e saiba mais: O tesouro da educação.